Início > Arquivo Noticias > Futebol > O primeiro derby em Alvalade
Quarta, 24 Abril 2024
O primeiro derby em Alvalade PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Terça, 25 Novembro 2008 15:30

Sporting 56/57Dois anos depois da Luz, o Sporting inaugura a nova casa, a poucos dias do Natal. Um golo bastou para pôr fim ao jejum de dois anos frente ao velho rival.

 

23 de Dezembro de 1956 é a data do primeiro derby em Alvalade, depois da despedida do Estádio do Lumiar, a casa mágica dos Cinco Violinos. Uma grande enchente que não chegou a lotação esgotada, mas que, ainda assim, rendeu mais de 500 contos aos cofres leoninos. Um luxo, para a época.

A recepção ao Benfica foi preparada com a ajuda de 140 elementos, entre porteiros e fiscais. Eram esperados 45 mil adeptos e, por isso, todas as cautelas seriam necessárias. O Sporting não ganhava ao rival há mais de dois anos, o que revestia o jogo de interesse acrescido.


E terá agradado certamente aos adeptos da casa, já a viverem na plenitude o espírito natalício. O jejum terminou no primeiro derby em Alvalade, com os leões a vencerem pela diferença mínima o líder do campeonato, que ainda não tinha perdido um jogo... em 14!

 

O único golo da partida resultou de uma discussão: enquanto Calado ficou a discutir com Martins a quem pertencia a bola, que seria lançada da linha lateral, o ataque do Sporting prosseguiu; Pompeu centrou, rasteiro, para trás e Hugo, de pé esquerdo, acertou em cheio na baliza de Bastos. Foi o melhor da primeira parte, que registou, ainda, a anulação daquele que seria o segundo golo dos leões, por Martins, a canto de Hugo, por suposta falta sobre o guarda-redes.

 

Mas apesar da vitória do Sporting, o guarda-redes foi o mais aplaudido do encontro, até pelo adversário, não tivesse sido ele o principal obstáculo dos encarnados, sobretudo no segundo tempo, quando tentaram dar a volta ao resultado. No fim, o próprio treinador do Benfica, Otto Glória, felicitou Carlos Gomes pela exibição. Afinal, fora aquele homem o único a esconder o caminho da baliza ao rival. Foram tentados golos de diferentes feitios, mas a todos Carlos Gomes respondeu com bravura.

Fora de Alvalade, quem mais festejou foi o F.C. Porto, que agradeceu a oferta dos leões. Os dragões igualaram o até então líder no primeiro lugar e reforçaram a esperança do título, pelo menos durante mais algumas jornadas. Não valeu, contudo, o esforço. O Benfica terminou campeão.

Ficha de jogo
I Liga - 15ª jornada
23 de Dezembro de 1956
Estádio José Alvalade, em Lisboa
Árbitro: Inocêncio Calabote (Évora)
Sporting 1
Carlos Gomes; Caldeira e Pacheco; Pérides, Passos e Osvaldinho; Hugo, Gabriel, Pompeu, Travassos e Martins
Treinador: Abel Picabea (argentino)
Benfica 0
Bastos; Calado e Ângelo; Pegado, Artur e Alfredo; Isidro, Coluna, Águas, Salvador e Cavém
Treinador: Otto Glória (brasileiro)
Marcador: 1-0, Hugo (17)

 

In maisfutebol.iol.pt


Ítems Relacionados:

 

Redes Sociais

  • Facebook Page: 204936909525135
  • Twitter: scpmemoria
  • YouTube: scpcpmemoria

Escolher Campeonato

RSS Notícias

rss_videos Notícias

Siga-nos no Facebook

header_wikisporting